Fonte CEPEA

Carregando cotações...

Ver cotações

Internacional

Mercado suíno na Espanha e UE enfrenta desafios de preço e produção, mostra relatório Genesus

Mercado suíno na Espanha e UE enfrenta desafios de preço e produção, mostra relatório Genesus

O mercado suinícola da Espanha e da União Europeia (UE) está atravessando um período de ajuste, marcado por variações nos preços, mudanças na produção e uma redução nas exportações para mercados asiáticos. O relatório recente da Genesus revela como o setor está se adaptando a essas novas realidades.

Preços e produção

O preço do suíno na Mercolleida, um dos principais mercados de referência na Espanha, tem se mantido estável em 1,8 €/kg de peso vivo nas últimas dez semanas.

Apesar da pressão dos produtores por aumentos de preços devido à menor oferta, a indústria da carne enfrenta dificuldades em elevar os valores devido à fraca demanda no Norte da Europa nesta primavera.

Comparado ao ano passado, o preço de mercado está mais baixo, mas a escassez de suínos persiste, refletida nos altos preços dos leitões.

Atualmente, um leitão de 20 kg custa em torno de 73 €, além de prêmios, apesar de uma ligeira redução. Este cenário tem levado os produtores a aumentar os pesos de processamento, passando de uma média de 115,5 kg em 2020 para 122,2 kg em 2024.

A estratégia visa otimizar a produção e aguardar por um possível aumento nos preços.

De acordo com a SIP Consultors, mesmo com os desafios, os produtores têm conseguido manter a lucratividade.

Dados do Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação (MAPA) mostram que, entre janeiro e março de 2024, foram processados 13.800.837 suínos, uma queda de 1,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. No entanto, o peso total processado diminuiu apenas 0,52%, atingindo 1.315.673 toneladas.

Exportações em queda

A diminuição das exportações para mercados asiáticos em 2023, em comparação com 2022, tem pressionado o preço da carne suína. As exportações para a China caíram 25,4%, para as Filipinas 36,2%, para o Japão 20,1%, para a Coreia do Sul 27,8% e para Taiwan 30,7%.

Desafios e adaptações

O setor suinícola espanhol enfrenta uma série de desafios, incluindo uma crescente concentração e verticalização da produção, uma redução na produção dentro da UE e a necessidade de adaptação às novas regulamentações de bem-estar animal.

Além disso, há problemas de saúde animal e uma falta de pessoal qualificado. A genética de “alto desempenho” também tem sido associada a um aumento na mortalidade nas fazendas.

A Genesus publicou recentemente a edição de 2024 do “World Mega Producer”, destacando os maiores produtores de suínos do mundo.

A Espanha continua a ter uma forte presença, com três empresas figurando entre os 49 maiores produtores globais:

  • Grupo Valls Companys ocupa o 13º lugar com 300.000 porcas.
  • Grupo Costa Food está em 22º lugar com 160.000 porcas.
  • Grupo Jorge aparece em 43º lugar com 105.000 porcas.

Perspectivas

Apesar dos desafios, o setor suinícola espanhol continua a adaptar-se e manter sua posição de destaque no cenário global. A expectativa é de que a indústria continue a responder às mudanças de mercado e regulatórias, garantindo sua competitividade e sustentabilidade.

Fonte: Mercedes Vega, Diretora Geral para Espanha, Itália e Portugal